Agricultura indígena mostra diversidade de alimentos

05/11/2015

A II edição da Feira Nacional da Agricultura Tradicional Indígena (Fenati) contará com a participação de 42 indígenas de diversas etnias do Brasil. Entre os dias 24 e 31 de outubro eles vão vender e expor produtos alimentícios na capital tocantinense, Palmas, durante os I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que ocorrem de 20 a 31 de outubro.

 

A expectativa para a II edição, conforme o coordenador-geral de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais do MDA, Edmilton Cerqueira, é muito boa, já que a primeira, realizada em Cuiabá, em 2013, foi um sucesso. “Queremos repetir esse sucesso e ampliá-lo, no sentido de variedade de produtos e de aumento do número de indígenas participantes. A primeira feira teve 400 m² para a segunda estamos dobrando de tamanho, vai para 800 m², passamos de 10 para 15 estandes”, destaca.

 

Uma das atividades que marcam a programação da Fenati é o Painel Internacional ‘A importância da cultura alimentar tradicional indígena na promoção da soberania e segurança alimentar e nutricional’. Quatro palestrantes de diferentes países farão uma explanação seguida de debate sobre as práticas alimentares, saberes e modos de produção tradicional dos respectivos povos indígenas.

 

No espaço será possível adquirir diversos produtos dentre eles: guaraná em pó, mel de abelha, óleo de copaíba, farinha, tapioca, beiju, massa de babaçu, peixe seco, paçoca de castanha, pimenta moída, chocolate orgânico, licor de jenipapo, biscoito de polvilho, azeite de castanha, arroz, feijão, doce de abóbora, e muito mais.

Para os Sateré Mawé, que participam pela segunda vez, a Feira é uma oportunidade de mostrar e fazer conhecer os produtos tradicionais da cultura indígena. “A gente tem participado de várias feiras, inclusive internacionais, mas para nós é um incentivo grande participar de um momento como esse, principalmente por ser no nosso país, em um evento da nossa cultura”, afirma o representante do Consórcio dos Produtores Sateré Mawé, Eudes Lopes.

Ao todo, 450 famílias de agricultores indígenas localizados nos municípios amazonenses de Parintins, Barreirinhas e Maués, fazem parte do consórcio. Eles vão levar para a feira mel de abelha, extrato de própolis, guaraná, copaíba, andiroba e outros.

 

A II Fenati promove e estimula a autonomia e autodeterminação dos povos indígenas, o consumo de produtos saudáveis e sustentáveis, além de valorizar o conhecimento tradicional, agregando valor à diversidade da produção indígena brasileira. “O MDA realiza essa feira porque queremos mostrar essa diversidade da agricultura familiar brasileira, na qual os povos indígenas estão inseridos e vêm mostrando, cada vez mais, o papel que sempre cumpriram ao longo da história na manutenção da sua cultura”, afirma Edmilton Cerqueira.

Atividades - Além da exposição e comercialização dos produtos, estão previstas na programação da feira atividades como rodas de conversa sobre inclusão produtiva, compras institucionais pelos Programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Também haverá troca de sementes e saberes, palestras sobre Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) em Terras Indígenas e apresentação de Tecnologias Sociais voltadas para povos indígenas.

 

A II Feira Nacional da Agricultura Tradicional Indígena será realizada por meio do MDA, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Já os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas serão realizados pelo Comitê Intertribal Memória Ciência Indígena (ITC), com apoio do Ministério do Esporte.

Vão expor seus produtos na feira as etnias Sateré Mawé, Coripaco, Baniwa, Apurinã, Wai Wai, Wapichana, Tupinambá de Olivença, Kariri Xocó, Kiriri, Potiguara, Munduruku, Apiaká, Kayabi, Cinta Larga, Rikbaktsa, Kalapalo, Kaingang e Guarani.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

 

Please reload

Postagens destacadas

Acesso à Água - cisternas de produção

May 9, 2016

1/10
Please reload

Postagens recentes
Please reload

Sobre nós

O MICC (Associação de Integração Campo-Cidade) é uma instituição sem fins lucrativos.
 
Somos um grupo de pessoas que busca a conscientização e a união de forças pela valorização da terra e de quem nela trabalha.

Contate-nos

+55 11 2843-4620

contato@micc.org.br